De bicicleta no Pico do Rinoceronte – Serra Geral em Bom Jardim da Serra, SC

De Bom Jardim da Serra até a Fazenda dos Papagaios

De bom Jardim da Serra até a Fazenda dos Papagaios são trinta e três quilômetros, sendo que a maior parte de estrada de chão.
O percurso segue por uma estrada secundária bem pedregosa, cheia de curvas e com várias subidas e descidas íngremes. A paisagem é linda, a perder de vista. Enxerga-se longe.

Os Campos de Cima da Serra
O Peral dos Cabritos

Nessa estrada de chão passa-se o “Peral dos Cabritos”, algo como um cânion interior, voltado para a Serra e não para o litoral.
Alguns quilômetros mais a frente chega-se a fazenda dos Papagaios, ponto inicial do pedal, de propriedade do Beto – que se surpreendeu com o ineditismo de irmos de bike até o Rincão Fino.

Ali se paga uma pequena taxa ter acesso a estrada que leva ao Rincão Fino, o local onde fica o Pico do Rinoceronte.

A estrada para o Rincão Fino

Da sede da Fazenda dos Papagaios até o Pico do Rinoceronte são pouco mais de 8km.

Atenção: Embora a distância seja curta, o pedal segue por uma trilha bastante técnica e exigente, apropriada para ciclistas experientes com dificuldades do terreno.

Nós seguimos de bicicleta o percurso da estrada, um caminho aberto acredito que para passagem de veículos rurais e que muitos veículos 4×4 se aventuram.

A estrada-trilha, como tudo por ali, é cheia de pedras com pedras do lado de fora esperando para entrar. Vai serpenteando contornando algumas coxilhas, subindo e descendo outras, passando por vários córregos e banhados.

Nesse percurso cruzamos com algumas pessoas que voltavam após um acampamento na beira do precipício.

Mais a frente passamos por outros poucos que haviam subido a trilha dos tropeiros pela “Serra da Veneza” e agora se dirigiam ao Pico do Rinoceronte, como a gente. Teve também um homem que fez o percurso sozinho, num bate-volta. Todos se aventuram a pé, carregando suas grandes mochilas e usando roupas coloridas.
Nós éramos os únicos de bicicleta e cada um seguiu seu caminho até o destino.

A estrada foi ficando para trás, lá embaixo


Os campos de cima da Serra

Uma constante nesse percurso foi a beleza da paisagem, pois os campos estavam num tom dourado, queimados pelas recentes geadas. Neles se via claramente os diversos córregos, as cachoeiras e os trechos de mata de araucária, tudo a perder de vista. É uma paisagem comum aos campos de cima da Serra, muito semelhante a que encontramos no Campo dos Padres e em outros pedais nas beiras de cânions. (Veja: Travessia do Campo dos Padres de bicicleta: de fat bike no ponto culminante de Santa Catarina e também: Mais de 10 Cânions da Serra Geral para ir de bicicleta)


Nesses campos de altitude, no inverno, se enxerga longe. Podíamos olhar para trás e ver por onde havíamos passado e olhar pra frente e ver para onde se ía. E o nosso destino era aquele último pico, careca, atrás de todos os outros.

Nosso objetivo é aquele pequeno pico no meio da paisagem


Nós seguimos com nossas fat bikes, pedalando a maior parte do percurso, empurrando outros onde isso não era possível. É uma percurso duro, mas possível de ser feita com essas bicicletas. Acredito que com mountain bikes comuns talvez seja possível, talvez não se pedale tanto, mas ainda assim se pedala e adianta.

As pedras do caminho

Há momentos que a trilha desaparece no meio da mata e reaparece mais a frente. Noutros trechos pedalamos diretamente no campo, pois não existe caminhos a seguir. Nessas horas é o percurso no gps que nos orienta.

O Pico do Rinoceronte (Rincão Fino)

Seguimos até uma subida mais íngreme, em que fizemos nosso “ataque ao cume” para chegar num grande platô a beira do precipício.
Lá de cima avista-se o mar ao longe e Criciúma com seus prédios altos. Aos pés da Serra tem uma represa, a São Bento , o grande reservatório de água doce para consumo da região carbonífera. Mas onde está o paredão de pedra? Como podia estar escondido?

Nas beiradas da Serra Geral, com o mar no horizonte distante
Lá de cima se avista Criciúma e a represa São Bento
As escarpas da Serra Geral

Bastou nos deslocar um pouco mais para o norte para finalmente descortinar a paisagem que tanto buscávamos: o Pico do Rinoceronte. Uma formação rochosa na beirada da serra, com duas pedras, e que os visitantes acreditam lembrar o animal africano.

Inicialmente ficamos admirando a paisagem de longe, para finalmente entrar naquela cena. No topo, em cima da pedra.

É Alto. Muito Alto!

Alto, muito alto.

E embora o Pico do Rinoceronte não seja o lugar mais alto do Rincão Fino, com certeza é uma imagem icônica desses perais. E vale muito a pena fazer esse pedal.

– FIM –

Informações Adicionais:

Registro no Strava (Abre em nova tela):

De fat bike no Pico do Rinoceronte

Como chegar na fazenda dos Papagaios (abre em nova tela o maps):

Fazenda dos Papagaios

Vamos voltar qualquer hora dessas!

Não deixe de visitar:

Mais de 10 Cânions da Serra Geral para ir de bicicleta

Travessia do Campo dos Padres de bicicleta: de fat bike no ponto culminante de Santa Catarina


	

Escrito por

Natural de Florianópolis, onde vivo por opção e sou ciclista por diversão. Através da bicicleta encontrei uma forma de ver o mundo e me manter saudável. Todos os textos e fotos desse site são originais. É proibida a cópia ou reprodução total ou parcial do conteúdo aqui divulgado. Todos os direitos reservados.