Mais de 10 Cânions da Serra Geral para ir de bicicleta

CÂNIONS DA SERRA GERAL


A Serra Geral é uma formação geológica que atinge os estado do sul do país e onde estão localizados os pontos culminantes da região. Esse planalto é interrompido abruptamente, sem transição para a planície, formando verdadeiros abismos. Com altitude média em torno de 1000 metros e com mais de 200 quilômetros de extensão no sentido norte-sul, os paredões muitas vezes são a fronteira natural dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Esse paredão da Serra Geral é recortado por inúmeros cânions. Alguns desses cânions estão localizados em áreas dos Parques Nacionais da Serra Geral e de Aparados da Serra, sendo o Itaimbezinho e o Fortaleza os mais famosos, mas muitos são acessados somente por propriedades particulares. É um patrimônio natural invejável perto de onde moramos.

Canion das Laranjeiras

Nesses locais, em dias claros, é possível avistar o mar e enxergar com detalhes essa maravilha da natureza. Podem ser visitados em qualquer época do ano, mas em épocas muito quente a visão ampla pode ser prejudicada pela “viração” – uma neblina densa que rapidamente toma conta da paisagem e impede de ver um palmo a frente. Já no inverno, com as temperaturas baixas, diminuem bastante as chances da viração ocorrer.

Uma forma de abordar um pedal nos Cânions é chegar até ele – por estradas ou trilhas. Basta ter o percurso. Em alguns chega-se por estradas asfaltadas, noutros por estradas de chão batido, por trilhas ou até mesmo por pedais no campo aberto, onde você escolhe o caminho. E mesmo nos que são de fácil acesso para quem pedala pode-se acrescentar grandes desafios com as subidas de Serra: Rocinha, Rio Do Rastro, Faxinal e Corvo Branco, ou as várias “trilhas de tropeiros”. Outra abordagem possível é conhecer o cânion por diversos ângulos, contornando suas bordas superiores.

Canion do Encera (Amola Faca)

Os cânions têm um poder incrível de atração e poder pedalar nas bordas com aquele visual é uma sensação indescritível. Os cânions criam uma paisagem de tirar o fôlego diante da grandiosidade da natureza, mostrando o quão pequeninos somos em meio aquela imensidão. Cada Cânion é bem diferente do outro, seja pela forma de acesso seja pelo visual. Eles são tão diferentes entre si, que vale a pena colocar uma “coleção de cânions” no currículo.


Este post é sobre alguns desses cânions que se pode chegar pedalando, com nossas bicicletas.

Para cada cânion da lista, apresentamos o percurso que realizamos. No final do post, veja o mapa com a localização dos Cânions da Serra Geral.

1 – CÂNION DO ESPRAIADO – Urubici – SC

O acesso se faz por Urubici, por asfalto até próximo a estrada de acesso da Serra do Corvo Branco, dali segue uma bonita estrada de terra, ladeada por um rio e finaliza com uma subida íngreme, mas que é recompensada com a vista do Canion do alto do morro.

É a partir do Canion do Espraiado que se inicia a Travessia do Campo dos Padres de bicicleta.

O Cânion fica numa propriedade particular, que cobra acesso às bordas do canion.

Registro no Strava: Pedal até o Canion do Espraiado e Travessia do Campo dos Padres


2 – CÂNION DAS LARANJEIRAS – Bom Jardim da Serra – SC


O acesso todo por estrada de chão a partir de Bom Jardim, pela Estrada das Vacas Gordas, até a fazenda Rincão da Palha. Da sede da fazenda até o vértice são aproximadamente 10 km de estrada rural. O trecho final é pedalado no campo.

Melhor entrar em contato antes para agendar o passeio, pois fica em propriedade particular.
A outra forma de chegar às bordas do Cânion é pela fazenda Dna Cândida, mas eles não permitem a passagem de bicicletas até o Cânion, somente a pé.

Registro no Strava: Pedal no Canion das Laranjeiras


3 – CÂNION DO FUNIL – Bom Jardim da Serra – SC


O Cânion do Funil fica na propriedade do Sr Miguel e o acesso ao Cânion é ao lado da subestação, bem próximo ao mirante da Serra do Rio do Rastro. O percurso é todo por uma trilha/estrada pelo campo, com partes com atoleiros. A autorização de acesso/pagamento da taxa era feita diretamente com o Sr Miguel, no centro de Bom Jardim.

Registro no Strava: Pedal no Canion do Funil

4 – CÂNION DA RONDA – Bom Jardim da Serra – SC

É um dos cânions de mais fácil acesso. Do mirante da Serra do Rio do Rastro pega-se uma estrada de chão até a entrada do Cânion, onde é cobrado o ingresso. A subida é por uma passarela de madeira, mas depois dá de pedalar pelas bordas por trilhas e pelo campo.

Como desafio extra, vale subir primeiro a Serra do Rio do Rastro com toda a sua imponência e que todo ciclista que gosta de desafio deveria subir pelo menos uma vez na vida. (Pronto, falei).

Registro no Strava: Pedal no Canion da Ronda

5 – CÂNION DO MONTE NEGRO – São José dos Ausentes – RS

A estrada de chão é cheia de pedra, mas tem pouco movimento. Vale a pena gastar um tempo percorrendo as bordas do cânion, mas tem que ficar atento à viração. No local fica também o Morro do Monte Negro, o ponto culminante do Rio Grande do Sul.

Os cânions de Ausentes podem ser visitados em um grande circuito, a partir da sede do município ou da vila do Silveira – ou de qualquer uma das hospedagens próximas – incluindo vários Canions da região.

Registro no Strava: Pedal no Canion do Monte Negro

6 – CÂNION COXILHAS – São José dos Ausentes – RS

Localizado logo ao sul do Cânion do Montenegro, o acesso se faz por estradas particulares, muitas vezes com porteiras fechadas com cadeados…

Registro no Strava: Pedal no Canion Coxilhas


7 – CÂNION DA BOA VISTA – São José dos Ausentes – RS

O acesso é pela mesma estrada dos Cânions do Pontão, Realengo e Amola Faca.
A autorização de acesso é feita na entrada do Cânion. O Cânion fica a apenas 1 km da estrada geral, por uma estrada rural em bom estado e sem grandes desafios.

Registro no Strava: Pedal até o Canion do Boa Vista

8 – CÂNION DO PONTÃO – São José dos Ausentes – RS


Nas terras da fazenda Pontão, o cânion é de fácil acesso pela sede da fazenda, pouco mais de 1 quilômetro até a borda do cânion.
No local tem um balanço infinito que rende boas fotografias. A sede da fazenda fica em ponto estratégico para facilmente chegar pedalando em todos os cânions de Ausentes.

Registro no Strava: Pedal ao Canion do Pontão

9 – CÂNION DO REALENGO – São José dos Ausentes – RS


A partir da estrada principal são vários quilômetros por uma estradinha/trilha pelos campos, com o Canion Amola Faca no lado direito até chegar ao vértice do Cânion Realengo no lado esquerdo. No Cânion do Realengo consegue-se ter uma vista espetacular das bordas da Serra Geral, para o norte.

Registro noStrava: Pedal até o Canion do Realengo


10 – CÂNION DO ENCERRA (Amola Faca) – São José dos Ausentes – RS


Da estrada principal até o vértice do Cânion do Encerra é pouco mais que uma centena de metros pelos campos. Dali segue-se margeando o Cânion para escolher o melhor ângulo e se encantar com a paisagem. Se seguir pela borda esquerda do Cânion (lado norte) vai poder avistar na borda oposta a cachoeira do Amola Faca, que muitos usam como nome do Cânion. Seguindo pela mesma trilha, por entre as araucárias, chega-se ao Cânion do Realengo e a Ponta do Realengo.

Registros no Strava:

Pedal no Canion do Amola Faca – borda norte

Pedal no Canion do Amola Faca – borda sul

11 – CÂNION DO TABULEIRO – São José dos Ausentes – RS

O menos conhecido e menos visitado dos cânions de Ausentes, é ao sul do Encerrra (Amola Faca). Não tem estrada até ele, mas se chega pedalando pelos campos e coxilhas (ondulações do terreno). Fica isolado, com bonitos paredões e alguns córregos que cruzam o campo. De lá se avista a Serra da Rocinha e em dias abertos avista-se o mar.

Registro no Strava: Pedal ao Canion doTabuleiro

12 – CÂNION DO FORTALEZA – Cambará do Sul – RS


O acesso pode ser feito por asfalto e estrada de chão a partir de Cambará do Sul, até a entrada do parque. Em feriadões e férias pode ter muito trânsito na região. Tem muito lugar bonito pra explorar dentro do parque, por isso vale considerar priorizar o trecho de parque e não de estrada em si.
Vale o desafio de subir até o alto do mirante e ver todo o gigantismo do maior Cânion da Serra geral, com seus 8 km de extensão e mais de 1400 metros de altura!

Registro no Strava: Pedal no Canion do Fortaleza


13 – CÂNION DOS ÍNDIOS COROADOS – Cambará do Sul – RS


No topo da Serra do Faxinal, com acesso pela antiga fiscalização (acredite, vai reconhecer). Dali é pouco menos de 1 quilômetro até as bordas do cânion, onde se avista uma cachoeira.
No mesmo pedal dá de prosseguir até o Cânion do Itaimbézinho. serão alguns quilômetros por uma estrada de chão bastante movimentada e empoeirada.

Registro no Strava: Pedal no Canion dos Índios Coroados


14 – CÂNION DO ITAIMBEZINHO – Cambará do Sul – RS


É o cânion mais conhecido do parque nacional de Aparados da Serra, e também com a melhor infraestrutura para turistas. A partir da portaria de acesso ao parque são poucos quilômetros de asfalto até a sede, de onde saem as trilhas para o Vértice e para o outro lado. O local recebe muitos turistas e as trilhas devem ser feitas com cuidado para não provocar acidentes.

É o cânion mais fácil de percorrer de bicicleta. Um desafio adicional seria chegar até ele subindo a difícil Serra do Faxinal, conhecendo ainda o Cânion dos Índios Coroados no caminho.

Registro no Strava: Pedal no Canion do Itaimbezinho

LOCALIZAÇÃO DOS CÂNIONS DA SERRA GERAL:

Clique na imagem para acessar o mapa:

— FIM —

Escrito por

Natural de Florianópolis, onde vivo por opção e sou ciclista por diversão. Através da bicicleta encontrei uma forma de ver o mundo e me manter saudável. Todos os textos e fotos desse site são originais. É proibida a cópia ou reprodução total ou parcial do conteúdo aqui divulgado. Todos os direitos reservados.